Um dos mais prestigiados encenadores no panorama internacional, Antunes Filho criou espetáculos que veiculam todo um pensamento sobre o teatro contemporâneo e refletem uma metodologia que envolve os intérpretes no estudo da estética, da filosofia, das fontes teóricas e dos documentos históricos associados ao tema encenado. Esta publicação acompanha a trajetória diretor a partir de amplo material fotográfico realizado por Emidio Luisi, e de textos de Sebastião Milaré elaborados a partir de uma perspectiva histórica e biográfica.
 
* Premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA em 2011.

Livro Antunes Filho - Poeta da Cena

R$ 120,00 Preço normal
R$ 102,00Preço promocional
  • EMIDIO LUISI SEBASTIÃO MILARÉ Edições Sesc São Paulo2011, 392 p.239 fotos pb23,5 x 23,5 x 4 cmISBN 978-85-7995-011-7

  • Sebastião Milaré é jornalista, crítico e pesquisador de teatro. Por 20 anos foi crítico teatral na revista artes: e nas últimas décadas tem publicado ensaios em periódicos do Brasil e do exterior. Por mais de 15 anos foi curador de teatro do Centro Cultural São Paulo. Criou e edita desde 2000 a revista teatral eletrônica www.antaprofana.com.br. É autor dos livros Antunes Filho e a dimensão utópica (Ed. Perspectiva, 1994), Batalha da quimera (Ed. Funarte, 2009) e Hierofania (Edições SESC SP, 2010). Participou de várias obras coletivas, com destaque para Estrategias postmodernas y postcoloniales en el teatro latinoamericano, organizada por Alfonso de Toro (Madrid: Iberoamericana / Frankfurt: Vervuert Verlag, 2004). É autor das peças A trupe futurista conta o bumba-meu-boi modernista (1992, dir. Gilberto Gawronski) e A solidão proclamada(1998, direção e coreografia Sandro Borelli); e dramaturgo de A flor e o concreto (São Paulo, 2000) e Quem come quem (Coimbra, 2001), ambas dirigidas por Stephan Stroux. É roteirista das sériesO teatro segundo Antunes Filho(STV/TV Cultura, 2001) e Teatro e circunstância(SESCTV, 2009), dirigidas por Amílcar Claro. Emidio Luisi nasceu na Itália e veio para o Brasil com sete anos de idade, onde iniciou a carreira de fotógrafo, em meados da década de 1970. Acompanhou vários festivais de dança, teatro e música, no Brasil e no exterior, como o >Free Jazz Festival e a Bienal Internacional de Dança de Lyon. Em 1985, criou, com outros fotógrafos, a agência Fotograma Imagens, que coordena até hoje. Emidio dedica-se à fotografia de palco há mais de 30 anos. Além de acompanhar o trabalho de Antunes Filho, fotografou o Ballet Stagium e o bailarino Kazuo Ohno, trabalhos que culminaram nas publicaçõesBallet Stagium 35 anos (Fotograma, 2007) e Kazuo Ohno (Cosac Naify, 2004). Participou de diversas exposições no Brasil e no exterior e recebeu prêmios, entre os quais o XI Prêmio Abril de Fotojornalismo, em 1985, e o Prêmio ABERJE, em 1987. Seu trabalho pode ser encontrado também nas coleções de fotógrafos brasileiros do Instituto Itaú Cultural e na publicação do acervo coleção MASP – Pirelli. É autor do livro Ue’ paesà (Fotograma, 1997).

​© Fotograma Imagens